Siwaju

Siwaju (1997) nasceu em São Paulo, vive e trabalha no Rio de Janeiro.

Sua prática escultórica investiga a relação do tempo com diferentes ecologias, e é por meio do reaproveitamento de peças de aço doadas, coletadas e recicladas a partir da pesquisa periódica aos centros de reciclagem que seus trabalhos estabelecem uma relação íntima e direta com o pensamento tridimensional brasileiro. Estabelecendo relações entre a matéria, o Cosmos, as energias visíveis, invisíveis, entre o objeto e seu entorno, entre corpo escultórico e o espaço, sempre numa dimensão temporal em espiral e em movimento de expansão e retrospecção ativando conhecimentos afrodiásporacos.

Graduanda e pesquisadora em Artes Visuais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Siwaju foi artista do ateliê de escultura da EAV Parque Lage, com passagens pelo Programa Formação e Deformação 2022, e ELÃ, da Escola Livre de Artes do Galpão Bela Maré. Entre as exposições coletivas que participou em 2023, destacam-se “Direito à Forma” Galeria Fonte, Inhotim; Contra-Flecha: “Arqueia, mas não quebra” Galeria Almeida e Dale (SP), “Vento Pórtico: Fragmento I”, Nonada (RJ).Foi uma das 5 artistas premiadas no prêmio Parque Cultural Casa do Governador (Vila Velha, ES – 2023), com a sua primeira escultura pública e permanente OJIJI. Em 2024, inaugurou sua primeira individual “Ainda incandescente, um vestígio no espaço”, curadoria de Melissa Alves, na Galeria Karla Osorio, em Brasília.